A ARTE DE VIVER!

Na complexa arte de viver, três experiências se revelam muito difíceis para nós, humanos: 1 – perdoar a quem nos feriu a alma e traiu nossa confiança; 2 – Superar nossos limites em tempos de crises; 3 – manter viva a esperança, quando tudo parece perdido.

No primeiro caso, a necessidade de perdoar: o que está em jogo é a nossa integridade interior e a saúde da nossa alma. No segundo caso, a necessidade de superação: o que está em jogo é a nossa auto-estima. No terceiro caso, a necessidade de esperança: o que entra em cena é a nossa sobrevivência, na perspectiva de um futuro melhor.

Quem, algum dia, não sofreu por causa do coração ferido? Quem já não tropeçou em sua própria incredulidade? Quem já não pensou em desistir em meio à turbulência?

A vitória sobre estas experiências está potencialmente dentro de cada um de nós. Cada um deve desenvolver, a partir de si mesmo, mecanismo de superação. E isto só é possível pela atuação de duas forças conjuntas: o esforço de cada um e a força de Deus em nós. Daí o aposto Paulo afirmar vitoriosamente: “Tudo posso naquele que me fortalece”.

Perdoar não é fácil. Talvez a experiência afetiva mais difícil para uma pessoa seja exatamente perdoar a quem lhe feriu o coração e traiu a sua confiança. Conquanto seja difícil, perdoar é necessário. É dar ao coração o direito de ser livre. Guardar ressentimento é armazenar lixo dentro de si. Com o tempo, ele desfigura e adoece toda a existência. Perdoar é construir pontes para a paz interior. Talvez nunca nos esqueçamos de quem nos feriu, mas o perdão tem poder de nos fazer lembrar, sem sentir dor.

Uma outra experiência difícil é a superação de nossos limites. Todavia, os limites é que são o certificado da nossa humanidade. Ser humano é reconhecer-se limitado.

Tudo isso só é possível através da fé no poder sobrenatural de Deus. Ele não conhece limites. Por isso a Bíblia afirma: “para Deus tudo é possível”. A finitude humana é superada pela plenitude divina. Na perspectiva da fé, as crises não são o fim de um sonho, mas um momento pedagógico na vida.

Um outro desafio à experiência é o de manter viva a esperança, mesmo quando as circunstâncias conspiram contra nós. Esperança e vida são sinônimos de existência vitoriosa. Nosso desafio constante, em meio às adversidades, deve ser a determinação de lutar até o fim, de não desistir em meio a quaisquer circunstancias.

Quando a nevoa do sofrimento passar, e quando as sombras das turbulências cederem à luz da calmaria, todos veremos o horizonte outra vez, e com ele, voltarão as esperanças, porque nele, Deus sempre está.

Libere o perdão, exercite a fé em Deus, e jamais perca a esperança. A vida é feita de sonhos; é alimentada pela esperança e adornada pela paz de um coração livre.

Fechar Menu
%d blogueiros gostam disto: